A alegria. O coração

pulse-trace-163708_1280

Na medicina chinesa, o coração é muito mais do que um órgão que bombeia sangue para todo o corpo. Até mesmo a neurociência já descobriu que ele tem a configuração idêntica à do cérebro (possui 40 mil células neurais) e processa emoções tomando decisões por si só, de forma independente, sem que elas passem pelo cérebro. Já descobriu também, através da coerência cardíaca, que o ritmo cardíaco e o formato das ondas emitidas pelo coração, mensuradas por meio de um simples eletrocardiograma, nos dão informações valiosíssimas a respeito do nosso estado emocional. É a ciência comprovando o que a medicina chinesa já afirma há mais de 5 mil anos.

Para a medicina chinesa, o coração é como um imperador. É ele que processa todas as emoções. É onde nascem as emoções que servem de base para tomarmos as decisões mais importantes. Ele nos dá a capacidade de pensar claramente sobre a vida e a tranquilidade mental necessária para escolhermos os melhores caminhos a seguir. As decisões mais importantes para as nossas vidas não são tomadas de forma racional pelo nosso cérebro, mas sentidas e processadas por nosso coração.

O coração nos dá a capacidade de amar intensamente e criar relacionamentos significativos.  Ele nos traz coraçãoo amor verdadeiro e impessoal; o calor da vida e a vontade de viver cada momento, com a alegria de quem se sente parte de tudo a sua volta. Traz a alegria e o calor humano. Quando ficamos alegres, ele bate mais forte, falamos muito e temos a necessidade de “trocar” com o outro.

Quando a energia do coração se descontrola, ficamos agitados e ansiosos. A ponta da língua fica vermelha e passamos a falar mais… e demais. A mente perde o seu centro e passamos a nos comportar de forma espontânea e irresponsável. Falamos e fazemos coisas sem pensar. Agimos por impulso. Quando a energia do coração se exaure, ficamos cansados, desanimados, sem perspectiva de vida.

O coração rege a nossa mente. Cuidar dele é cuidar da vida. Precisamos de sua alegria para torná-la mais leve e feliz. Para isso, devemos buscar a graça e a inocência de uma criança, brincar mais e fazer todos os dias coisas que nos deixem alegres. Dessa maneira, o coração se alegra. Vivemos mais fortes e saudáveis. E o coração vai sempre bater forte, saudável, dentro do peito. Seremos sempre muito mais felizes!

Alex da Silva Santos – Diretor do Centro Brasileiro de Acupuntura
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.br