Tantra, a arte de transformar amantes normais em almas gêmeas

“O Tantra é a ciência de transformar amantes normais em almas gêmeas. E essa é a grandeza do Tantra. Pode transformar toda a terra; pode transformar todos os casais em almas gêmeas.”  (Osho, Philosophia Perennis, vol. 1, capítulo 8)
Iamgem / Fonte: Medium.

Os símbolos sexuais escravizam os sentidos ao mundo das formas, que está em constante transformação, fazendo da beleza física algo passageiro e particular. A identificação com o mundo das formas e dos modismos dificulta a percepção da beleza única da alma, que, sendo imortal e divina, deveria ser o elo principal do encontro amoroso e todas as suas manifestações.

Uma das formas de compreender as separações entre casais é o fato de que os egos podem se odiar enquanto as almas continuam se adorando.

Nos relacionamentos amorosos atuais, é praticamente impossível fazer prevalecer o desejo pela vibração da alma. Quem impera, aliena, escraviza e adoece é sempre o ego.

Quantos casais se unem pelo amor genuíno, autêntico ― que nasce essencialmente da alma ― se adoram e acreditam que nada nem ninguém poderá separá-los? Quando menos esperam, são traídos pelo inimigo secreto: o ego, que destrói a beleza do amor incondicional.

O Tantra é o alicerce, o fundamento básico da sabedoria milenar dos Deuses.

Para a realização do amor tântrico, são necessários muita sensibilidade física e psíquica, capacidade na entrega total, confiança, renúncia ao ego, ausência de tensões e abandono das máscaras psicológicas que inibem, reduzem o prazer e bloqueiam a experiência energética do êxtase a dois.

Imagem / Fonte: O Segredo.

Homens e mulheres atualmente recebem, através da cultura e dos meios massivos de comunicação, estímulos e impressões que provocam uma ansiedade permanente em quase todos os campos da vida, gerando incertezas no sucesso de relacionamentos amorosos, gerando também insegurança, que reduz a sensibilidade, a conexão emocional e espiritual e, consequentemente, o desempenho sexual e a expressão natural da amorosidade.

A prática real do Tantra é possível quando há muita confiança e intimidade entre os parceiros. É preciso muita amizade, respeito, admiração, entusiasmo, carinho e cuidado com e pelo outro. O encontro das almas só será profundo e permanente quanto menor for a interferência do ego.

Não há normas a seguir, devem-se evitar os programas preestabelecidos pela mente que nos tornam realistas e cartesianos demais, verdadeiros autômatos, pessoas muito mentais.

O guia de relacionamentos tântricos amorosos de sucesso, é e sempre será através do coração, que sempre encontra a medida certa, através das nossas vulnerabilidades, o momento adequado, criando as melhores oportunidades para a celebração e o encontro do verdadeiro amor entre almas, que assim, vibrando na mesma sintonia e intensidade, serão gêmeas.

Para se criar um elo forte nos primeiros encontros, o namoro e a união física completa, em vários textos tântricos tradicionais se recomenda ao casal a prática de alguns métodos, como Maithuna ou Mithuna, a União Sagrada para o Tantra, que exploraremos no próximo artigo.


Cláudia Guilherme (Siari Prem)
Orientadora sexual, terapeuta holística e tântrica, além de produtora cultural. Palestrante especialista na abordagem de assuntos como sexualidade, comportamento amoroso, autoestima e resgate do feminino. Ministra diversos cursos, palestras e workshops na área de sensualidade por todo o Brasil.
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.brInstagram: @claudiaiambe.