Count

Sustentabilidade no Carnaval carioca: olha a gestão de resíduos aí, gente!

O Carnaval carioca é o maior espetáculo da Terra, disso todos já sabemos. O que pouco nos damos conta é que nessa época do ano a geração de resíduos aumenta consideravelmente na cidade. No entanto, tem muita gente que trabalha duro para não deixar que tudo vire lixo e esmoreça o espetáculo.

O primeiro exemplo é dado pela própria Companhia Municipal de Limpeza Urbana no Rio, a Comlurb, que reforça a coleta com pessoal e equipamentos no entorno do Sambódromo, no Terreirão do Samba, Estrada Intendente Magalhães e locais por onde passam os blocos da cidade. No Carnaval do ano passado, a empresa coletou cerca de 800 toneladas de resíduos no período, com uma média de 250 toneladas de recicláveis, utilizando a mão de obra de quase 3 mil garis.

O segundo exemplo ― e mais importante, na minha opinião ― são os catadores de recicláveis. Iniciaram sua participação no Carnaval sabe-se lá quando, acompanhando blocos ou concentrando-se no final dos desfiles das escolas de samba com seus “burrinhos sem rabo” e sacos de ráfia. Há cerca de 10 anos, iniciaram uma participação oficial no Carnaval carioca por meio de cooperativas organizadas do Programa Reciclagem Solidária ― ONG Ecomarapendi/Recicloteca, coletando recicláveis gerados no camarote da Brahma (Sambódromo).

Nos anos seguintes, a participação se estendeu à coleta organizada, com uniformes e equipamentos (inclusive caminhões), em todo o Sambódromo e em vários blocos patrocinados pela cervejaria Antártica. A cada ano, mais cooperativas vão sendo inseridas no processo, por diversos projetos. Estima-se que em 2016 as cooperativas de catadores coletaram um total de 150 toneladas de recicláveis, mesmo com sua estrutura e abrangência incomparavelmente menores que as da Comlurb.

O terceiro exemplo vem de um bloco carnavalesco criado com a temática da sustentabilidade: Vagalume, O Verde. Fundado em 2004, tudo no bloco é pensado para consumir menos recursos, repensar os materiais a serem utilizados, recusar o consumo desnecessário, reaproveitar o que for possível, coletar os resíduos gerados e encaminhá-los para a reciclagem.

Quer fazer a sua parte também? É simples: não jogue seus resíduos fora da lixeira e entregue seus recicláveis para um catador que estiver por perto. O efeito dessa mudança de atitude enaltece o espetáculo, e todo mundo agradece!

Links úteis:
http://www.ecomarapendi.org.br/
http://www.recicloteca.org.br/
http://www.rio.rj.gov.br/web/comlurb
https://www.facebook.com/pg/Vagalume.o.Verde

Cynthia Souza — Gestora ambiental
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.br
Instagram: @cynthiassouzaconsult