Sustentabilidade & maternidade: tudo a ver

A maternidade está muito mais ligada à sustentabilidade do que possamos imaginar. Desde os primórdios da humanidade, até os dias atuais, o papel de principal influenciador do comportamento e formação dos filhos é da mãe. Mesmo com a evolução da vida da mulher do século XXI, a mãe é a principal provedora, influenciadora, formadora, cuidadora e educadora dos filhos. O aprendizado se dá pelo exemplo e é esta a principal responsabilidade da mãe na vida do filho: dar o exemplo para formação de sua consciência, moral e caráter. Noções de sustentabilidade são passadas desde tenra idade.

Exemplos de sustentabilidade na maternidade

Aleitamento materno: Sustentar a vida de seu bebê com o produto natural, rico e saudável de seu corpo é o maior exemplo de sustentabilidade de uma mãe. O leite materno não precisa de embalagem, não consome energia elétrica no processo produtivo, evita desperdícios (pois é produzido na quantidade adequada para o consumo), não consome água em abundância, não gera resíduos, as sobras podem ser doadas para bancos de leite que alimentarão outros bebês;

Fraldas de pano: Substituir fraldas descartáveis por fraldas de pano diminui a geração de resíduos, mesmo que seja apenas por algumas trocas diárias;

Brinquedos criativos: Quem nunca viu uma criança se divertir mais com a embalagem do que com o brinquedo que acabou de ganhar em sua festa de aniversário? Objetos coloridos, móveis e que façam barulho,  são a grande vedete das brincadeiras, não importa quanto custem. Acredite, o foguete feito com garrafa PET e fitas coloridas terá a mesma  função do foguete moderno comprado na loja cara ― ainda mais se a criança tiver participado da sua confecção.

Consumo consciente: Os hábitos de consumo das mães influenciam diretamente nas escolhas dos filhos. Repensar, Recusar, Reduzir, Reaproveitar e Reciclar ― famoso conceito dos 5R’s ― é um hábito que se adquire facilmente dentro de casa.

Alimentação saudável: Mulheres grávidas tendem a se alimentar melhor para não trazer complicações aos bebês. Os hábitos alimentares das crianças são formados por seus pais, principalmente pelas mães. Oferecer “comida de verdade” (frutas, legumes, verduras, carnes variadas) é o que vai formar hábitos alimentares saudáveis. Como identificar o que é saudável? Simples: Se não nasceu de uma semente, de um ovo ou da “barriga” da mãe, não é comida de verdade.

Respeito pela fauna e flora: Crianças que convivem com bichos de estimação fazem atividades ao ar livre e têm plantas em casa têm maior tendência a respeitar e preservar o meio ambiente.

Lembremo-nos todos, não só as mães: deixar um mundo melhor para os filhos não é o mais importante, mas sim deixar filhos melhores para o mundo.


Cynthia Souza — 
Gestora ambiental com MBA em Gerenciamento de Projetos pela Universidade Veiga de Almeida, atua há mais de 15 anos nos segmentos de Gerenciamento de Projetos, Gestão de Resíduos, Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade. É palestrante e instrutora de oficinas para grandes clientes da indústria do estado do Rio de Janeiro, bem como condomínios comerciais e residenciais, além de instituições de ensino locais.
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.br. Instagram: @cynthiassouzaconsult.