Se estiver no Canadá, faça como os canadenses!

Há centenas de anos, Ambrósio, poeta e bispo de Milão, na Itália, e que virou santo, disse uma frase que entrou para a história e que procuro seguir: “Quando em Roma, faça como os romanos.”

Aqui no Canadá, país nórdico, a sauna e a piscina de água quente fazem parte da cultura, da maneira como os canadenses se divertem no inverno.

Imagem: Scandinave Spa Vieux-Montréal

Seguindo as orientações de Ambrósio, resolvi conhecer dois dos mais conceituados spas de Montreal e ver na prática se é realmente possível se divertir com tanto frio.  O Scandinave Spa Vieux-Montréal  é indoor, ou seja, fechado. Fui num dia que chovia muito, chuva de gelo, e não havia possibilidade de divertimentos ao ar livre. Por recomendação de vários amigos canadenses, escolhi fazer uma experiência termal. Paguei a entrada (segunda a quinta, o valor é de 39 CADs; de sexta a domingo, aumenta para 55 CADs), que dá acesso à sala de banhos e ao uso de roupão, sandálias, toalhas, sabonetes, shampoo, condicionador e um armário.

A atendente me explicou que a experiência é feita em etapas, com a sensação do quente e do frio e relaxamento. Tomei uma ducha rápida após colocar o meu maiô e me dirigi à piscina de água quente, temperatura a 39°C. Esqueci o mundo… É algo absolutamente delicioso, uma espécie de cachoeira funciona como uma massagem nas costas. Você deve ficar 15 minutos na primeira estação. Depois, veio o choque térmico em uma espécie de aquário de água gelada. Na minha opinião, um horror, mas absolutamente necessário, segundo a atendente, que informou que eu deveria ficar ali por pelo menos 5 segundos.

Realmente, foi um impacto no meu corpo, além de uma preparação para a détente, a distensão, em uma das camas montadas para os hóspedes, que recebem chá orgânico e frutas durante a experiência, a ser repetida por três vezes, com  você podendo alternar a piscina de água quente com a sauna seca ou a vapor. Além de relaxar, a terapia da água promove melhora na respiração, libera as toxinas e revitaliza a pessoa.

Já o Bota Bota é um spa outdoor, ao ar livre. Funciona dentro de um barco ancorado no Velho Porto de Montreal. Um sábado com temperatura de 17°C negativos foi o dia escolhido para minha aventura. O valor do ingresso para o circuito de água custa a partir de 39 CADs ― preços diferenciados, dependendo do dia e do horário (checar tabela). Estão incluídos roupão, tolhas, sabonetes, shampoo, condicionador; todavia, a pessoa deve levar o próprio chinelo ou sandália.

Como no Scandinave, o banheiro no Bota Bota também tem vários secadores de cabelo. Assim que troquei de roupa, fui para a piscina no topo do spa. Quinze minutos nunca se passaram tão rápido, e lá fui eu de novo para o choque térmico, agora num chuveiro frio. Foi rápido e serviu para me despertar.

O Bota Bota tem vários andares, muito espaço para a détente. Quem preferir pode ir para as espreguiçadeiras, pufes ou cadeiras de balanço. Você pode variar o seu programa com saunas, queda d’água gelada ou trocar de piscinas. Os circuitos termais são realmente opções de lazer de canadenses típicos e a melhor forma de se conhecer um país, seus hábitos e costumes: fazer o que normalmente os moradores fazem.

Saí de lá com fome. Foi ótimo estar no Velho Porto, porque aproveitei para curtir um festival de gastronomia com preços absurdamente em conta: uma refeição completa saiu quase que pelo mesmo valor de um trio de sanduíches. É a 10ª edição do Happening Gourmand, um dos mais tradicionais encontros gourmet do Canadá. Até 5 de fevereiro, é possível escolher, nos nove restaurantes do Velho Porto, um cardápio fechado por 23, 26 ou 30 CADs. Como gosto muito de carne, minha opção foi o Vieux-Port Steakhouse com uma sopa deliciosa de queijo e cogumelos de entrada, carne tenra e legumes em seguida. Para finalizar, o clássico crème brûlée.

Na lista do festival, há opções como comida vegana, japonesa e francesa. E já que estamos falando de comida, não poderia esquecer a sobremesa, ou melhor, o chocolate. Entre os hábitos dos canadenses, beber chocolate quente para esquentar o corpo e espantar o frio é um deles. Até o domingo, dia 29, a pedida para quem está em Montreal ou na cidade de Quebec é participar da  La Grande Tournée du Chocolat Chaud. O festival é uma maratona para quem gosta de chocolate, reúne 25 estabelecimentos como cafeterias, confeitarias e restaurantes. Cada taça de chocolate quente custa só 4 CADs para o deleite dos chocólatras de plantão.

Agora, fico por aqui. Volto em breve com mais dicas de cultura e turismo do Canadá.

Rosane Rodrigues — Jornalista
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.br
Instagram: @rosanerodriguesbrasil