Count

“O Peso das Gotas”, de Jairo Cézar, retrata as dores e alegrias da nostalgia

Quem nunca ficou reflexivo ao lembrar e sentir saudades do passado? É sobre isso que o autor paraibano Jairo Cézar reflete em O Peso das Gotas. O livro, vencedor do prêmio José Américo de Literatura, é dividido em cinco partes e traz ao leitor as dores e alegrias da nostalgia, com referências literárias e altas doses de ironia.

Publicada pela editora Penalux e com o prefácio escrito pelo também poeta Linaldo Guedes, a obra de 144 páginas e no valor de R$ 32 ― nos remete à infância, à criança interior, aos tempos mais simples que todos nós já tivemos. Além disso, faz relembrar a beleza daquilo que já não podemos mais tocar, aquilo que já fomos e não mais seremos.

No primeiro capítulo, intitulado A Infância, Jairo evoca  lembranças do pai, de imagens da infância e do trem. Segundo o autor, a Estação de Sapé é o estuário natural dessa nostalgia. Em Meus, segunda parte da obra, ele dialoga com outros autores, alguns contemporâneos do poeta, outros referenciais, como Fernando Pessoa e Miguel de Cervantes.

“Na parte Mínimos trago poemas curtos, como o título já sugere, a maioria tercetos. Em Úmidos, quarta parte da obra, predominam poemas com temática mais erótica ou lírico-amorosa. Como Boca de Veludo e os salmos para Isabel e Deise”, relata.

E por último, em Diversos, uma pequena coletânea de poemas sobre os mais variados assuntos. “Destaco Reforma ortográfica, Desenredo e Eclipse, em que o lúdico remete ao meu livro de poemas para crianças, comenta.

 Sobre o autor      

Morador de Sapé, na Paraíba, terra natal do poeta Augusto dos Anjos, Jairo Cézar Jairo é membro fundador do Caixa Baixa, grupo de jovens escritores paraibanos. Entre suas obras publicadas estão Escritos no Ônibus, um dos vencedores do IV Prêmio Canon de Poesia, concurso nacional que teve mais de três mil poetas inscritos de todo país e apenas 50 selecionados; e Rapunzel e outros poemas da infância, publicado em 2012 pela Editora Forma Editorial.