Alimentos anti-inflamatórios: “Que o seu remédio seja o seu alimento!”

Há milhares de anos, Hipócrates, um dos mais importantes homens da história da saúde, já dizia: “Que o seu alimento seja seu remédio e que o seu remédio seja o seu alimento!” Ou seja, desde a antiguidade a alimentação é ressaltada como um fator promotor de saúde, e é impossível ter qualidade de vida sem antes procurar um equilíbrio em nossa dieta. A cada dia que a ciência da Nutrição avança, mais se afirma a troca dos medicamentos da farmácia pelos alimentos.

Entretanto, apesar de existir um grupo de alimentos capazes de prevenir e combater um leque de doenças, alimentos inadequados fazem exatamente o contrário, promovem o aparecimento de inflamações e enfermidades. Chamados de pró-inflamatórios, devem ser utilizados com cautela por agravarem processos inflamatórios no organismo, favorecendo o aparecimento  do câncer, diabetes, de doenças cardiovasculares, Alzheimer, obesidade, alergias e distúrbios reumatológicos. Os grandes vilões são os cereais refinados, como pão francês, massas, arroz polido, bolos, biscoitos, carnes gordas, embutidos, leites e derivados (queijos, creme de leite e manteiga), refrigerantes, bebidas alcoólicas e frituras. Os produtos “industrializados” também entram nessa classificação devido aos diversos corantes, conservantes e tantas outras substâncias químicas que possuem.

Ao contrário dos alimentos pró-inflamatórios, os anti-inflamatórios agem fortalecendo o nosso organismo e melhorando as nossas defesas contra as doenças, ou seja, são alimentos que aumentam a imunidade. Esses, sim, são os que devem fazer parte da alimentação diária. São eles: alimentos ricos em Ômega-3, como sardinha, atum, arenque, salmão e linhaça. Alho cru, cebola, brócolis, gengibre, couve, espinafre, couve-flor, repolho, pimentão vermelho. Oleaginosas, como castanhas e amêndoas; leguminosas, como o feijão, a lentilha, ervilha, grão de bico e soja. Também a clara do ovo, frutas, principalmente as de cores alaranjadas e vermelhas. E chás, como o chá verde e o de alecrim.

O equilíbrio no consumo de alimentos anti-inflamatórios e pró-inflamatórios é fundamental para a manutenção da saúde. Por isso tenha muita atenção na hora de se alimentar, pois nem sempre um alimento é tão inofensivo quanto parece. Faça a escolha certa! Priorize aqueles que contribuem para a saúde e o bem-estar.

Karine Almirão Ferreira — CRN 4-15100909
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.br
Instagram: @karinealmirao