Count

“Nascentes”, livro de Severino Antônio, mostra como nasce a poesia

A poesia nasce de qualquer coisa. Pode ser da observação, da doença, da alegria, da calmaria, do inusitado, do estudo e do impensável. É o que afirma o escritor Severino Antônio em seu novo livro Nascentes.

Uma publicação da Editora Penalux, a obra — com 90 páginas e no valor de 40 reais — pretende mostrar a origem desse gênero literário, ou seja, onde realmente nascem os poemas. Para o autor, o livro tem o intuito de apresentar o brotar da poesia e as nascentes do fazer poético.

Segundo o escritor Tarcísio Bregalda, autor do prefácio, os poemas de Severino parecem de nascimento fácil, como se fossem água brotando daquela mina d’água da infância. Ao mesmo tempo, são textos pensados, escritos e reescritos, o que permite a sensação de que eles podem emergir e varar os séculos.

Para os editores Tonho França e Wilson Gorj, o autor de Nascentes é um dos maiores nomes atuais quando se trata de pedagogia infantil no Brasil, além de ser um dos melhores poetas brasileiros vivos. “Sua obra é bastante valorizada pelos cultos de educação e poesia”, afirma.

Sobre o autor

Graduado em Letras, mestre e doutor em Educação pela UNICAMP, Severino Antônio trabalha há mais de quarenta anos com o ensino de Redação, Leitura, Filosofia e formação de professor. Ministra palestras por todo o Brasil e é escritor de diversos livros. Atualmente é professor doutor do mestrado em Educação do UNISAL, São Paulo.