Festas juninas – Diversão com consciência ambiental

Imagem/Fonte: DP Organizaar.

Historicamente, as festas juninas envolvem muitos recursos que não são amigos da natureza, além de poderem causar acidentes graves com quem está em busca de diversão: fogueiras e festivais de balões, por exemplo. Seguem algumas alternativas para que a festa seja menos agressiva ao ambiente, sem perder seu valor cultural e religioso.

Fogueira fake: Em geral, as fogueiras são feitas de galhos e troncos de árvores coletados em quantidade no entorno do local da festa, degradando bosques e florestas urbanas que estão em recuperação. Uma alternativa é utilizar uma fogueira fake, que reproduz o visual e não degrada nem polui o ambiente: estrutura de material sintético ou até mesmo de madeira plástica ou reutilizada, decorada com fitas de plástico agitadas por ventilador interno, iluminada internamente com lâmpadas vermelhas. Fica lindo, e a fogueira só acaba quando desliga a energia! Quando a festa terminar, é só desmontar e guardar para o ano seguinte.

Imagem / Fonte: Conexão Plastilit.

Barraquinhas: As de ripas de madeira são difíceis de montar e mais difíceis ainda de desmontar sem inutilizar as peças. Tendas com peças encaixáveis de metal e cobertura de lona são a melhor opção, podendo ser reutilizadas para qualquer festa ao ar livre, por muitos anos.

Comidas e bebidas: Comidas de festas juninas são tradicionais e saborosas — todo mundo sabe e gosta. Mas, os talos, folhas e cascas utilizados em seu preparo são geralmente descartados, o que é um grande desperdício, pois a maioria das vitaminas e sais minerais se encontram nestas partes dos alimentos. Receitas com aproveitamento integral de alimentos são de fácil acesso e igualmente saborosas! Doce de casca de mamão, suco de casca de abacaxi e bolo de casca de banana, por exemplo, vão te surpreender pelo sabor e agradar a todos os paladares.

Roupas: Comprar roupas para usar nas festas juninas é uma prática totalmente desnecessária e dispensável. Costurar retalhos em camisas e saias é uma alternativa, assim como garimpar peças no armário da família ou até mesmo em brechós. Lembre-se: roupa não é item descartável. Use, valorize e reinvente sempre que puder/precisar!

Imagem /Fonte: Ciclo Vivo.

Por último e não menos importante: NÃO SOLTE balões e fogos de artifício. Além da poluição sonora, podem causar incêndios em casas, estabelecimentos comerciais e até mesmo destruir florestas inteiras se caírem acesos. Quando caem apagados no mar, são facilmente confundidos com alimentos por todos os animais que lá habitam.

Diversão é quando todo mundo brinca e ninguém sofre prejuízo de qualquer ordem. Divirtam-se com consciência! As lembranças boas serão maiores!


Cynthia Souza — 
Gestora ambiental com MBA em Gerenciamento de Projetos pela Universidade Veiga de Almeida, atua há mais de 15 anos nos segmentos de Gerenciamento de Projetos, Gestão de Resíduos, Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade. É palestrante e instrutora de oficinas para grandes clientes da indústria do estado do Rio de Janeiro, bem como condomínios comerciais e residenciais, além de instituições de ensino locais.
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.br. Instagram: @cynthiassouzaconsult.