Exposição “Junho de 2013: cinco anos depois” no Centro de Arte Helio Oiticica

Título: O único que se libertou com a revolução industrial foi o cavalo Autor: Gustavo Speridião Ano: 2018Imagem: “O único que se libertou com a revolução industrial foi o cavalo” (2018), de Gustavo Speridião.

Encontra-se aberta para visitação no Centro de Arte Helio Oiticica a mostra Junho de 2013: cinco anos depois, uma retrospectiva sobre a produção crítica e visual dos últimos cinco anos a partir das manifestações  que mobilizaram milhares de pessoas, de todas as ideologias, no Brasil. Reunindo trabalhos de vários artistas ‒ entre os quais Ana Hortides, Adeilma Costa, Aleta Valente, Daniele Machado, Davi Marcos, Emilia Estrada, Thiago Ortiz, Seus putos, Vô Pixa Pelada e Philippe Valentim ‒ o projeto conta ainda com seminário, cineclube e publicação cujas datas serão divulgadas em breve.

A exposição marca a nova gestão do CMAHO com a direção de Alice Alfinito e a curadoria de Daniele Machado, que será pautada pela transparência, pela diversidade e pela pesquisa a artistas e conteúdos periféricos a história da arte contemporânea.

Não é só pelos 20 centavos

“Não é só pelos 20 centavos” ecoou por estados, cidades e bairros brasileiros.  A mobilização de milhares nas manifestações do mês de junho do ano de 2013 foi atípico no país. Despertou em muitos o desejo por ocupar as ruas e reivindicar pautas diversas, empreendendo esperança por outro Brasil. A rua foi de todos: esquerdas e direitas. Gritos confusos, semelhantes e divergentes.

O gigante nunca dormiu? Ocupar? Vândalos? Eram só vinte centavos? É festa ou manifestação? Contra toda organização. Ainda é cedo para uma crítica madura e para encontrar respostas para essas perguntas. A mostra busca apresentar olhares, despertar conversas e encontros, a partir de fotografias, performances, pinturas, vídeos, móveis, fantasias, instalações, lambe-lambes, objetos, esculturas, cartazes e gravuras. Um pequeno recorte diante de um grande acontecimento, que apesar de recente segue repercutindo no cotidiano do povo brasileiro.

Visitação: 4 de junho a 4 de agosto
Horário: Segunda a sábado – 12h às 18h. Não abre nos feriados.

Entrada franca

Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica – Galerias 1 e 2
Rua Luís de Camões, 68 – Centro – Rio de Janeiro
Tel.: 21 2242-1012