Exposição de Denize Torbes no Centro Cultural Correios

Imagem: Desenho de Denize Torbes. Exposição Cerne / Abril de 2018. Créditos: Marcio RM.

Encontra-se aberta para visitação, no Centro Cultural Correios, a exposição Denize Torbes – Cerne. São cerca de 60 obras recentes e inéditas da artista plástica, que há nove anos não realiza uma mostra individual no Rio de Janeiro.

Em duas grandes salas do centro cultural, o público carioca poderá contemplar pinturas, desenhos, objetos em cerâmica e uma instalação que traça um contraponto entre o ser humano moderno e o inserido em sua cultura milenar. Os trabalhos tratam da temática da cultura indígena e das queimadas, em trabalhos que se relacionam entre si.

Cerne, o título da exposição, vem da parte do tronco que continua intacta após uma queimada. “O cerne na natureza é a parte da madeira queimada que não se destrói e a referência nesta série é o ressurgimento, em vestígios, de elementos próprios da cultura de povos antigos assim como a premência de regeneração, como um esforço de suportar as decorrências destrutivas da ação humana”, afirma a artista, que pesquisa a cultura indígena desde 1987, e cuja avó pertencia à tribo Guarani, localizada até hoje na fronteira entre o Rio Grande do Sul e o Uruguai.

Sobre a artista

A carioca Denize Torbes nasceu em  1959 é bacharel em Pintura pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro.  Dentre suas exposições individuais destacam-se: Kosmofonia 3 sentidos Verlerouvir (2009), no Centro Cultural da Justiça Federal, no Rio de Janeiro; Denize TORBES – LdeO&Co Mobilier et Ecodesign Brésiliens (2008), em Paris, França;  Das Origens (2006), na Casa de Cultura Laura Alvim, no Rio de Janeiro; Ícones Tribais – pinturas, cerâmicas e jóias (2005), com  itinerância pela Casa França-Brasil, no Rio de Janeiro, e pelo Musée de la Halle Saint Pierre e pela Galeria Panamá, ambos em Paris, França, e  mostra no Centro Cultural Banco do Brasil (1994), no Rio de Janeiro.

Dentre suas exposições coletivas estão: Salve São Jorge 23 ‒ 9ª edição, no Porto das Artes ‒ Fábrica de Espetáculos, RJ, Acervo Contemporâneo, na Galeria Arte UFF, RJ, Cubo além do cubo – DEZ, em 2017; Zona Oculta – 10 anos (2015), ambas no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, RJ; 1ª Bienal Sul-americana de Gravura e Arte Impressa Rio-Córdoba (2014), no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro, e no Museu Emilio Caraffa, em Córdoba, Argentina; Papel ao cubo (2013), no Museu D.Diogo de Souza, Museu de Arqueologia, em Braga, Portugal.

Ao longo de sua trajetória, recebeu diversos prêmios. Destaque para: Prêmio CIER – Comissăo de Integraçăo Energética Regional (2004); Seleçăo Pręmio UNESCO – Jovem Arte Brasileira – Pinacoteca do Estado de Săo Paulo (1993); Projeto Beca Ciudad de Mexico (1991); Prêmio aquisição – Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco (1987); Salão de Artes Plásticas da Escola de Belas Artes da UFRJ (1984).

Possui obras em importantes acervos no Brasil e no exterior, como Companhia Vale do Rio Doce, Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco; Museu de Arte Moderna de Santa Catarina; Acervo Contemporâneo da Universidade Federal Fluminense; Galeria Lopez Velarde, México;, Museu Nacional de Belas Artes; Society Printmakers of California; Galeria Cândido Mendes-RJ; SESC-RJ; Centro Cultural dos Correios-RJ; Josef-Krainer-Haus, Graz, Áustria;  Museu de Arte do Espírito Santo.

Abertura: 2 de junho ‒ 16h
Temporada: Até 18 de julho
Dias e horário: Terça a domingo ‒ 12h às 19h

Entrada franca

Centro Cultural Correios
Rua Visconde de Itaboraí, 20 ‒ Centro ‒ Rio de Janeiro
Tel.: 21 2253-1580