Count

Exposição na Caixa Cultural Rio de Janeiro exibe o trabalho de mais de 500 poetas

Poesia agora traz obras de poetas contemporâneos vivos em instalações que reúnem linguagens multiartísticas e muita interatividade

Imagem: © Ulisses Dumas / divulgação

De 11 de junho a 6 de agosto, acontece na Caixa Cultural a exposição Poesia agora, que exibe trabalhos dos principais poetas em atividade no Brasil, fazendo um mapeamento do cenário da poesia contemporânea nacional. A abertura será realizada no dia 10 de junho, às 16 horas, com um grande sarau que irá reunir personagens de destaque da cena poética local e de outros estados.

Com curadoria de Lucas Viriato, criador do jornal de literatura Plástico Bolha, a mostra traz uma coletânea do trabalho de mais de 500 poetas brasileiros e estrangeiros, entre textos, livros, vídeos, fotos, registros sonoros e saraus, além de instalações dinâmicas e instigantes, criadas pelo premiado cenógrafo mineiro André Cortez. A ideia é abrir espaço para o trabalho de poetas em atividade que, apesar de pouco conhecidos, possuem uma produção relevante.

“A mostra tem diversas camadas e atrai tanto quem quer conhecer a fundo a variedade da produção poética contemporânea quanto quem quer fazer um passeio leve e diferente”, explica o curador Lucas Viriato.

Poesia agora é um desdobramento do trabalho de edição realizado por Lucas no Plástico Bolha, desde 2006. Fruto de um projeto universitário no departamento de Letras da PUC Rio, a publicação se tornou um dos mais respeitados jornais literários do país. A ideia de fazer uma mostra com base nesse trabalho nasceu quando o diretor do Museu da Língua Portuguesa (São Paulo), Antonio Carlos Sartini, conheceu o jornal. Juntos, eles montaram uma grande exposição que atraiu cerca de 200 mil pessoas ao museu em 2015.

Poesia viva

Ao todo, são seis alas com obras em exposição, sendo algumas especialmente preparadas para a participação ativa do público. Assim, a mostra não só aproxima o leitor do poeta como também, por vezes, mescla esses papéis.

No Escriptorium, por exemplo, cercado de portas iluminadas com projeções de poemas, está uma grande mesa com 50 livros. Ao empilhar de forma diferente os livros, o visitante poderá montar sua própria poesia a partir da combinação dessas palavras. Dentro de cada livro, estão apresentados oito poemas, somando o total de 400 trabalhos de diferentes autores. As demais páginas estão em branco e o visitante pode registrar sua poesia ali, lado a lado com a dos melhores poetas.

Em outra ala, o público é convidado a participar de um desafio: escrever um poema sem utilizar uma das vogais. Os poemas mais criativos serão impressos em formato lambe-lambe e expostos na mostra. Assim, a exposição vai sendo modificada ao longo do tempo, subvertendo a ideia de que uma mostra literária apresenta somente obras antigas e já consagradas.

O espaço Poesia de rua também tem grande apelo entre os visitantes. Se, nas demais salas, as portas eram iluminadas, agora elas parecem tapumes e muros da cidade. E, dessa vez, o público age como curador, selecionando as melhores poesias e pichações por meio de fotos tiradas por ele mesmo em sua cidade. As fotos poderão ser enviadas através do e-mail participepoesiaagora@gmail.com ou postadas nas redes sociais em modo público com a hashtag #PoesiaAgora. As melhores imagens serão selecionadas e exibidas ao longo da exposição.

Sarau de abertura: 10 de junho de 2017 ― 16h

Visitação: 11 de junho a 6 de agosto

Dia e horário: Terça a domingo ― 10h às 21h

Entrada franca

Classificação: Livre

Acesso para pessoas com deficiência

Caixa Cultural Rio de Janeiro – Galeria 1
Av. Almirante Barroso, 25 – Centro ― Rio de Janeiro
(Metrô e VLT: Estação Carioca)
Tel.: 21 3980-3815