Escutando até o que não existe…

Fonte: Akim Neto

É muito comum, principalmente após os resfriados ou quando alguém fica exposto aos barulhos muito altos, como shows ou obras com britadeiras, que fiquemos com aquele zumbido irritante nos ouvidos. Quem nunca ficou, não é mesmo? O famoso zumbido, cientificamente conhecido como tinnitus, não é considerado grave e se caracteriza pela sensação de ouvir qualquer tipo de som, mesmo estando em um ambiente silencioso, e por traumatismo na cabeça ou pescoço. Pode afetar apenas um ou até mesmo os dois ouvidos ao mesmo tempo.

O zumbido pode aparecer em decorrência de exposições ao barulho por tempo prolongado, infecções nos ouvidos, tumores, excesso de cera, problemas de circulação, alterações psiquiátricas (depressão e ansiedade, por exemplo), acúmulo de colesterol, pressão alta, mau funcionamento da articulação da mandíbula (também conhecido como distúrbio temporomandibular) etc.

Na Medicina Tradicional Chinesa temos quatro fatores que podem desencadear o quadro de zumbido:

  • Invasão de vento externo: sim, quando as nossas avós falam: “Proteja o ouvido dessa criança… está ventando!” Pela Medicina Tradicional Chinesa, elas estão corretas! Nesses casos, aparecem zumbidos que se agravam com a presença do vento e do frio. Quando a agressão é pelo vento e calor, os sintomas podem mudar: dor leve no ouvido, sensação de ligeira obstrução dentro dele, audição levemente reduzida e membrana um pouco avermelhada.
  • Subida do yang do fígado: aparecimento súbito de zumbido ou surdez, que estão ligados diretamente aos estados de instabilidade emocional, irritabilidade, tendência aos acessos de raiva, tonturas, sabor amargo na boca, face vermelha, olhos vermelhos e secos, suor noturno.

Esse tipo de zumbido manifesta-se de forma intensa com som elevado e diminuição da capacidade auditiva.

  • Umidade: os zumbidos também aparecem de forma súbita, porém com uma característica marcante do quadro de umidade — sensação de peso, principalmente na cabeça, em particular no canal auditivo, dilatação abdominal, com piora em ambientes úmidos.

Nos casos de umidade/calor, tanto na vesícula biliar quanto no fígado, surgem dores relativamente severas no ouvido, podendo ou não irradiar para a face, além de febre e frio alternados.

Os zumbidos também aparecem de forma súbita e com zumbido bem alto, além de ocorrer a diminuição da capacidade auditiva.

  • Vazio (deficiência) de yin e yang do rim: são muito comumente encontrados em pessoas de idade mais avançada, pois pela Medicina Tradicional Chinesa os idosos têm a famosa deficiência de jing (essência), que fica armazenada entre os rins. O rim é o órgão que se abre nos ouvidos; logo, quando existe a sua deficiência, a tendência é que os problemas auditivos surjam (o zumbido é só um deles). No vazio (deficiência) de yin e yang do rim, o zumbido aparece de forma gradual, som baixo (parece uma cigarra cantando bem baixinho), que piora com o esforço físico, dor lombar, e melhoram com a pressão nos ouvidos, além da fraqueza nas pernas, tontura e perda crônica da audição.

Os zumbidos não são difíceis de tratar, exceto nos casos de tumoração. A acupuntura é sempre um caminho de tratamento. A auriculoterapia e a moxabustão também podem ser utilizadas, principalmente nos pacientes idosos.

Espero que tenham gostado!

Até a próxima!

André Jaña – Diretor da clínica Long Life Fisioterapia e Acupuntura
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.br