Entrada livre para conhecer os parques canadenses em 2017

Jasper National Park. Créditos: Parks Canada.

O Canadá tem um longo histórico de proteção ao meio ambiente e os parques e reservas ambientais por todo o país são exemplos de cuidado com a natureza. Como parte da programação do aniversário de 150 anos da Confederação Canadense, o governo de Justin Trudeau dará um presente. É o Discovery Pass, um cartão de acesso que permite a entrada livre em mais de 170 locais administrados pelo Parks Canada de costa a costa do país. Para conseguir o cartão, basta preencher uma ficha e aguardar sua chegada pelos correios. Não é preciso pagar nada e o pedido pode ser feito do Brasil. Se você planeja uma viagem ao Canadá, peça o pass com antecedência. A entrega pode demorar até seis semanas em território canadense e muito mais no exterior. “Quem procura uma aventura ao ar livre, diversão com a família, ou quer conhecer a história do nosso país, o Discovery Pass dará acesso gratuito em todos os locais”, explicou Catherine Mackenna, ministra do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas do Canadá.

O Discovery Pass é válido para parques, sitíos arqueológicos e reservas marinhas. Uma das opções é o Ivvavik National Park of Canada, no território de Yukon, fronteira com o Alasca. O parque é conhecido como um santuário para ursos e é um vale com canyons e montanhas.

Banff National Park. Créditos: Parks Canada.

Se o seu destino for a província de Alberta, não perca a oportunidade de conhecer o Banff National Park. São quase 7 mil quilômetros para percorrer e  um lago belissímo, Moraine Lake, para a prática de vários esportes. O Banff, criado em 1885, é um dos parques mais antigos do Canadá, sendo muito procurado por quem gosta de turismo de aventura.

Na província de Quebec,  três locais administrados pelo Parks Canada  podem ser visitados de graça: Forillon National Park, La Mauricie National Park e o Mingan Archilago National Park.

A reserva ambiental Mingan Archipelago é muito mais do que um parque. São cerca de 1.000 ilhas e ilhotas que formam um santuário onde animais vivem em harmonia com a natureza. O local foi declarado, em 1978, como Patrimônio Cultural do Quebec e está localizado no extremo leste da província. Da cidade Montreal até Havre-Saint-Pierre, o ponto mais próximo do arquipelágo e onde é possível pegar barcas, são quase 700 quilômetros. É um passeio para ir sem pressa e com diposição para andar e conhecer as relíquias arqueológicas, como as falásias de calcário, um grupo de estátuas naturais esculpidas pela ação do mar e do vento, e observar os papagaios-do-mar, pássaros típicos do litoral do Atlântico Norte e que atualmente estão ameçados de extinção.

Para quem está em Montreal, um passeio pelo Fort Chambly, uma fortaleza construída em 1771 às margens do Rio Richelieu, é uma boa dica. O forte fica a apenas 30 quilômetros de Montreal e faz parte das atrações turísticas da região de Monteregie.

Além de economizar com o custo da entrada, na faixa de 15 dólares canadenses por pessoa, conhecer os parques também é uma forma de aprender sobre o Canadá. “Os parques nacionais, os sitios históricos e as reservas marinhas contam as histórias do nosso país. Representam não só belezas naturais; mostram a cultura e a contribuição dos  povos indígenas. Por isso, queremos dividir esses locais com canadenses e visitantes do mundo inteiro”, acrescentou Catherine Mckenna.

Volto em breve com mais dicas de cultura e turismo aqui do Canadá!

Rosane Rodrigues — Jornalista
E-mail: editorial@riofiqueligado.com.br
Instagram: @rosanerodriguesbrasil